nav-left cat-right
cat-right

“Cinco em um” de dezembro

Uma das cores da coleção "Altea" da belga Khroma, também disponível da Wallcovering e em suas revendas cariocas

Uma das cores da Coleção “Altea” da belga Khroma, também disponível na Wallcovering e em suas revendas cariocas.

Pois é, chegado dezembro, eu deveria estar falando de Natal ou algo relacionado a isto, concordam?  Mas achei melhor dar um tempo na festa máxima da cristandade – que tem rolado bons posts por aqui, que ainda não acabaram! – para lançar o “cinco em um” do mês em seu formato tradicional. Estamos em tempos difíceis como não paro de dizer, pois estamos mesmo: é falta de dinheiro, de tempo, de compreensão entre as pessoas, de concórdia, de tudo. Parece um mini “Apocalipse Now“, ou sabe lá Deus se é o prenúncio do grandão mesmo (espero que não  ). Enfim, vamos aos trabalhos que urge divertir-se e relaxar um pouco.

Vocês podem discordar, mas para mim, "Babu" é um luxo!

Vocês podem discordar, mas para mim, “Babu” é um luxo!

Uma primeira belezinha que eu vi neste mês foi esta ‘cadeirita’ – que alguns podem até considerar como uma “não cadeirita”  – chamada “Babu“, feita com apenas uma seção de couro de meros 6 milímetros de espessura, que lhe dá a forma ao ser dobrada como se fosse uma folha, para criar o assento e o encosto – e se posiciona no piso mesmo! Tem um pezinho que fixa a estrutura, mas o grande barato é a inspiração no modo de sentar dos povos do deserto que se espalham no chão, né gente? Sobre suas pernas mesmo, para comer, para conversar, para se socializar, para trocar uma ideia enfim. A peça foi apresentada primeiro na Dubai Design Week e me veio à mente que ela tem a ver diretamente com globalização: pensar que tudo que os povos do oriente veem em nossos países e levam para lá acaba por retornar, de alguma forma, para o ocidente. Pensar que não somos apenas nós que (de forma quase “imperialista”, como no passado…  ) estamos “exportando nossas preferências” para lá, mas que algo também está vindo de lá, de forma mais lenta, mais leve e mais delicada, e que vamos também absorver algumas coisinhas… Isso tudo me encantou. E na Babu em especial, gostei de tudo um pouco: sua forma, material e um novo (velho) jeito de sentar!

Com um jeito mais para o masculino, tem gente pintando tambor até com bolinha amarelinha para colocar no quarto de menina pra ficar mais bonitinho. No momento, só registro, falo nada...

Com um jeito mais para o masculino, tem gente pintando tambor até com bolinha amarelinha para colocar no quarto de menina… No momento, só registro, falo nada…

Uma coisa que eu tenho acompanhado à distância (de longe por que sou conservadora e chata – quem me conhece sabe o quanto!  ), é o tal do “Estilo Industrial”. Mas é aquilo, né, de tanto ver, a gente acaba por incorporar uma ou outra coisa no dia a dia, e acaba até por achar “bonito” (entre aspas mesmo por que esse ‘bonito’ é muito suspeito…  ), algumas coisas que se nos apresentam a todo instante. Daí que, neste mês, dei com os “Tonéis Customizados” oferecidos pela Empporium Frei Caneca, prontinhos para uso. Tem tonel preto do Jack Daniels ou da Chanel Nº 5, rosinha de perfume da Dior, azul Tiffany´s, uma graça, se é que se pode chamar um tambor sem nenhum charme, que é utilizado para guardar óleo, gasolina e coisas assim, em fábricas e indústrias, de… “gracioso”.  Mas a verdade é que li em um blog bem badalado – e bem mais antenado que o meu, diga-se de passagem, e a verdade – que “os toneis são os novos pallets“, os queridinhos da hora de quem curte a dupla “faça você mesmo e o tal do ‘estilo industrial’. Podem ser usados como mesa de apoio na sala, no quarto e no banheiro, para dar aquele clima “fashion industrial” onde você desejar – ou virar luminária, cuba no banheiro e até sofá, para quem sabe mexer com um maçarico – mas aí já é mais complicado. Enfim, como não embarco em qualquer modismo de cara, muito menos sem ter percebido algum valor a mais que meramente o baixo custo e a facilidade de se descartar das coisas sem dó nem piedade em pouco tempo, me reservo o direito de curtir a coisa e até de destacá-la por aqui, sem dizer que é o último biscoito do pacote, ok? E tenho dito.

Os produtos da Viquim mini são totalmente feitos com tecido 100% algodão, além de pré encolhidos e amaciadas, o que lhes garante suavidade e resistência.

Os produtos da Viquim mini são totalmente feitos com tecido 100% algodão, além de pré encolhidos e amaciados, o que lhes garante suavidade e resistência.

Outra que fiquei sabendo agora perto do final do ano foi o lançamento da Viquim mini, loja virtual de roupa de cama para crianças. Parece pouco, mas a verdade é que os segmentos infantis de inúmeros produtos não são bem atendidos com peças de qualidade e apropriadas em todos os aspectos para a este público que é grande e cheio de especialidades. Criada por uma mãe, designer de interiores e de mobiliário super competente – dá para perceber que ela tem todas essas qualidades, não é? – a carioca Fernanda Gusmini, tirou o conceito da marca da dificuldade em encontrar roupa de cama bacana e de qualidade para os filhos, Joaquim e Vicente, cuja junção dos nomes deu o nome a marca. São capas para edredom, lençóis, almofadas e acessórios numa coleção desenvolvida por ela que diz ter se inspirado na inesperada reunião do ‘lifestyle‘ carioca com a decoração nórdica… (hein?  ) As estampas são uma graça e tiveram o toque de gênio de minha querida Renata Rubim, contando com desenhos simples e geométricos, de poucas cores, o que facilita criar várias combinações. Eu adorei tudo que vi e acho que você vai curtir também. Visite o site!

O papel de parede "Oxygen" próprio para áreas molhadas da Wallcovering tem um lindo degradée em tons de verde e azul.

O papel de parede “Oxygen” próprio para áreas molhadas da Wallcovering tem um lindo degradée em tons de verde.

Essa ainda é da Casa Cor Rio© – pra vocês verem quanta coisa passa por aqui  – mas eu não posso deixar de publicar: o lindo, super prático, e que está preparado para ser aplicado em áreas úmidas – como banheiros – papel de parede que a Wallcovering apresentou na “Sala de Banho“, de Marta Guimarães e Daniele Faraco – ambiente que eu até destaquei em post aqui mas não falei sobre o papel…  Trata-se da nova coleção “Oxygen” inspirada no coração das florestas tropicais, e traz um paraíso suntuoso com folhas de palmeiras, florais e aves exóticas, importada da Bélgica com exclusividade pela marca paulistana que agora investe também no mercado carioca – em Sampa já é uma das líderes do segmento. Algumas vezes, quando vou à capital paulista, eu visito a loja da empresa na Gabriel, mas você nem precisa fazer isso: aqui mesmo no Rio a empresa está atuando através das revendas parceiras Covering (na Gávea, Rio) e Guilha (em Icaraí, Niterói).

O pendente "Diamante", a luminária de mesa "Lanterna", e a de piso "Cactus": três boas opções para sua casa neste fim de ano. Escolhi na Oppa, só pra você!

O pendente “Diamante“, a luminária de mesa “Lanterna“, e a de piso “Cactus“: três boas opções para sua casa neste fim de ano. Escolhi na Oppa, só pra você!

Pra terminar, uma coisa que eu sempre curto colocar aqui no “cinco em um”: iluminação. É, eu curto mesmo, e a gente sempre “precisa de uma luz”, não é? Dessa vez fui escolher em uma loja que eu tenho visto muito, muito mesmo. Muita coisa e a toda hora: a Oppa. É release, é imagem, é Face, é Instagram. De tudo um pouco. Acabo por descobrir que é coisa nova, de gente jovem, mas de muito respeito, pois já existem lojas físicas em vários pontos desse Brasilzão e um site enorme, cheio de opções. A proposta é de coisa básica, sem frescura, sem ostentação, móveis e peças para se gostar e se ter, coisas fáceis de comprar que não ficam o resto da vida na sua casa, nem “doendo” no seu bolso – e/ou na sua consciência. E com designers bons como Bernardo Senna, Flavia Pagotti Silva, Eduardo Baroni e gente nova como Juliana Azevedo e Gustavo Martini, é claro que eles vão longe e que estão em um bom caminho – pelo menos têm minha torcida. Daí que peguei três peças: um pendente, uma de piso e uma de mesa para você escolher, aproveitar e se presentear agora no fim de ano. Pronto: um bom presente de design pra você mesmo, que batalha o ano inteiro por suas coisas, e que merece tanto um afago. Lógico que você pode também lembrar de outro alguém que mereça. Mas não se esqueça de você mesmo, viu?

Related Posts with Thumbnails
Share

Deixe um Comentário