nav-left cat-right
cat-right

Novos Talentos Brasileiros – Design & Arte – Segunda Edição

Pedro Galasso - que também assina o espaço expositivo da mostra - e seu carrinho bar "Tetris" e Léo Fróes e a estante "Adapt" são dois bons exemplos da qualidade dos novos designers que se apresentam na 2ª Edição de Novos Talentos Brasileiros que acontece em paralelo à Morar Mais Rio deste ano.

Pedro Galasso – que também assina o espaço expositivo da mostra – e seu carrinho bar “Tetris“, e Léo Fróes e sua estante “Adapt“, são dois bons exemplos da qualidade dos novos designers que se apresentam na 2ª Edição de Novos Talentos Brasileiros que acontece em paralelo à Morar Mais Rio deste ano.

Sim, tem a Morar Mais rolando até o próximo domingo no CasaShopping e como entrei de férias súbito, corri para lá na sexta para ver e contar tudo que posso a vocês que ainda não foram para aproveitar a última semaninha e irem: CORRAM!   MASSSS… ao mesmo tempo está acontecendo a 2ª Edição da Exposição Novos Talentos Brasileiros – Design & Arte e eu não pude deixar de ir primeiro lá para prestigiar e conferir os novos designers brasileiros. Gente, eu vos conclamo: NÃO PERCAM! a mostra é pequena, se vê em poucos minutos, mas é de uma seriedade e de uma qualidade que me impressionaram muito, mas muito mesmo. Não tem ninguém ali “estudante” ou recém formado de bobeira, pensando ainda se quer isto ou aquilo. O que vi foram protótipos sérios, peças feitas de forma artesanal que em nada devem a peças de linha e… peças que já estão em produção sim, claro! Só falta mesmo o tal do “empurrãozinho” para que estes profissionais sejam reconhecidos pelo mercado moveleiro, automotivo, de linha branca, de eletro eletrônicos, de objetos, de têxteis, enfim, por toda a cadeia produtiva brasileira, pelos empresários que cismam em importar design e não contratar a mão de obra que existe aqui à farta – com qualidade e expertise comprovada – para criar produtos únicos, novos e, quem sabe, chegar um dia a colocar produtos totalmente gestados no Brasil lá fora. Não estou falando de designers de peças exclusivas só, me entendam, estou falando da mesinha e da cadeirinha que consumimos no mercado global, da bandeja, do prato e do copo que se compra num grande magazine que quem desenhou foi um chinês –  – ou um americano, ou uma equipe norueguesa, ou australiana, ou sueca… É gente, há muitos profissionais prontos para trabalhar junto às empresas fabricantes de quaisquer áreas, fábricas de produtos que compram desenhos prontos lá fora, e pouco se sabe disso. Enfim, luta difícíl. Vamos ficar com a parte boa pois eu A-DO-REI ver o talento nacional de forma tão explícita!

Bem bolado, em estofado, estrutura metálica com pintura eletrostática e madeira, o módulo me conquistou.

Bem bolado, em estofado, estrutura metálica com pintura eletrostática e madeira, o módulo do sofá “Galeria” me conquistou.

A primeira peça que vi e que gostei enormemente foi o módulo do “Sofá Galeria” de Luciana Duque do Estúdio OBJ aqui do Rio. Como a empresa já é estruturada – apesar de pequena e cheia de desafios ‘of course‘, como qualquer empreendedor no Brasil… – pode-se se dizer que a peça está em produção e preparada para a venda. Mas eu me pergunto, para qual nível de produção?   …  E aí é que está! O design é ótimo, o móvel é lindo, confortável e tal, mas não pode ficar restrito a pouca gente… 

Carina Carmo e sua luminária "Axial 01"

Carina Carmo e sua luminária “Axial 01

A gente nem pensa por que e vai comprando e usando as coisas sem se questionar por que não se pode fazer mais barato e mais prático. Mas como a vida do designer é esta, Carina Carmo brilhou ao pegar papelão e dobrá-lo de forma sensacional – sim parece um origami, mas é mais importante que uma dobradura – e criar luminárias – há mais de um modelo disponível e mais de uma cor também – mais práticas, mais leves, mais baratas. E eu me pergunto por que vivemos aferrados ao vidro ou aos plásticos e por que durante tanto tempo ninguém pensou nisso. Adoráveis!

Paulo Moreira e a mesa "Monolito" com pés em cano hidráulico de cobre e alma de madeira revestida em pedra da Indonésia esverdeada, geralmente usada em piscinas

Paulo Moreira e a mesa “Monolito” com pés em cano hidráulico de cobre, e alma de madeira revestida em pedra da Indonésia esverdeada, geralmente usada em piscinas.

A “história” de Paulo Moreira já é de brincar com os materiais, menos com as formas, mas eu curti pensar em pernas de canos de metal e superfícies de mesas de centro em placas cimentícias ou iguais ao fundo da piscina da casa (!)  . Acho que essa liberdade de experimentação é uma dádiva e faz parte, faz super parte do que o jovem designer precisa e é extremamente necessária para tudo e todos – principalmente se pensarmos em sustentabilidade, reutilização, eteceterá…. Gostei porque eu gosto de cubinhos e destaquei a que achei mais bonita, apesar de pensar que a de madeira com placas de cimentício também foi uma ótima ideia…

A banqueta fragata - em freijó - e a poltrona an life - em madeira folheada - por Dimitrih Correa.

A banqueta “Fragata” – em freijó – e a poltrona “An Life” – em madeira folheada – por Dimitrih Correa.

Designer “sério”, candidato ao mundo dos ‘super stars‘, Dimitrih Correa desenhou duas peças em madeira que são elegantes, belas, têm tudo no lugar. Sua banqueta alta “Fragata” e a poltrona descontraída “An Life” poderiam estar em qualquer loja do shopping enchendo os olhinhos da gente de cobiça para entrarem em nossas casas e apês. O rapaz leva jeito e tem pose de designer de destaque! 

O banco boiadeiro me conquistou, mas poderia ser um pouquinho maior...

O banco “Boiadeiro” me conquistou quando vi por foto, mas poderia ser um pouquinho maior…

Uma das peças que mais gostei foi o banquinho “Boiadeiro” da Fubbá Design: feito com assento em couro e estrutura em metal com pintura que parece ser epóxi pó, é desmontável e tem jeito de ser uma peça de custo mais baixo feita com alguns toques de sofisticação. Só tem um detalhe: primeiro vi as fotos e adorei. Quando vi “ao vivo e a cores” achei que a peça poderia ser um “tantinho” maior. Ou seja: para mim, ela está um pouquinho fora da escala ideal, isto é, poderia ser pensada um pouco maior… s Claro que eu não tenho nada com isso, não sou a criadora, a “senhora designer”, e quem decide isso é ele – ou eles, a Fubbá Design, que soube ter sido criada por: Alexandre Montenegro e Henrique Gomma. Mas se eu pudesse deixar “um toque” ou pedido de fã mesmo, seria esse: tentem fazer um pouco maior e vejam como fica mais belo!

Bolação das melhores: "Nightstand" mesa de cabeceira para camas baixas de Paula Agra De Figueiredo:

Bolação das melhores: “Nightstand” é mesa de cabeceira para camas baixas de Paula Agra De Figueiredo.

Essa também eu adorei: por que é que num mundo onde a grande parte das pessoas tem bicama – ou seja, uma cama no chãofuton, sofá cama, etc, ninguém nunca pensou nesses pobrezinhos que vivem sem uma mesinha de cabeceira à altura dessas camas? Pois a designer Paula Agra De Figueiredo lembrou dessas pessoas – que já vivem no aperto!  – e criou um belo móvel: a mesa de cabeceira para camas baixas “Nightstand“. Pensando ainda que essas peças são super caras – desde que me casei não consigo comprar nem uma mesa de cabeceira, nem um criado mudo ou algo que o valha para acompanhar o belo leito nupcial adquirido d´accord… – Paula fez algo simples, que certamente tem custo baixo, cheio de bossa e funcionalidade. Taí, agora eu quero um pra colocar em cima da mesinha de cabeceira reformada que eu tenho!

Agora vamos assistir a um clip:

Gravei lá mesmo, na correria. Pode não ter ficado ótimo mas acho que deu seu recado e foi feito especialmente para este blog, gostaram?
O fato é que as luminárias do Caio Superchi são simples, modestas, compactas e dão seu recado. É tudo que precisa, o que mais é necessário? Fiquei bem feliz ao vê-las assim, em sua singeleza e dando seu recado. Parabéns Caio, você é exemplo para gente nova!

A fofura da "Miau Lamp".

A fofura da “Miau Lamp” de Tati Ferrucio.

Aí vem os lúdicos: a luminária “Miau Lamp” de Tati Ferrucio é pura lindeza e eu fiquei parada nela. Claro que quero todas, uma para cada canto da casa! Como adoro um gatinho seria ótimo. Talvez se você tiver um gato ele não goste da concorrência, mas para quem não tem é um achado! cat40

Trabalho meticuloso arte, artesanato e design, a luminária "Ararinha Azul" tem tudo para ser o tipo de design brasileiro que se destaca no exterior.

Trabalho meticuloso de arte, artesanato e design, a luminária “Ararinha Azul“, de Gabriel Dornelas, tem tudo para ser o tipo de design brasileiro que se destaca no exterior.

Outra luminária que ficou o máximo e que talvez seja questionada é a “Ararinha Azul” de Gabriel Dornelas. Feita com dificuldade – duvido que esse processo seja fácil…  – em lâminas tingidas em azul e montadas como se fosse um abacaxi ao contrário, ela leva o lúdico brasileiro a um determinado espaço. É a peça certa para o lugar certo, não é para se colocar de qualquer jeito, sem um estudo. E eu tenho certeza de que quem a colocar em destaque no lugar certo vai projetar o nome do Gabriel como foi o dos Campana.  Sim, não pensem que é fantasia pois a “pegada” do design brasileiro é a brincadeira, o lúdico, nossas coisas, nossas peculiaridades, e se formos por esta senda há muito o que contar no exterior. A sacada do Gabriel foi das melhores e muito bem viabilizada, só falta acontecer de verdade. E eu torço por ele!

2ª Edição da Exposição Novos Talentos Brasileiros – Design e Arte
Até 17 de setembro – CORRA!
CasaShopping – Avenida Ayrton Senna, 2.150 – Barra da Tijuca – RJ
Entrada gratuita.

Related Posts with Thumbnails
Share

Deixe um Comentário