nav-left cat-right
cat-right

Casa Cor© Rio 2017: os ambientes – primeira parte

O “Observatório” de David Bastos: um dos ambientes de mais simples criação nesta Casa Cor© Rio – e um dos mais belos.

Como sempre, difícil escolher uns e descartar outros, mas o faço por economia de tempo, mais do que espaço, pois me sobra pouco para fazer posts para o blog neste momento…  Como já disse no post preview, a Casa Cor© Rio deste ano está muito bonita, super bem vestida, com ninguém “deixando barato” para ninguém – ou seja, todos os participantes investiram no ápice do charme, do garbo e do bom gosto, e é difícil escolher algo mais belo e sofisticado que o do vizinho. Talvez haja falta de integração entre os ambientes, mas ali é um prédio com vocação comercial, então cada espaço pode ter sua utilização voltada para algo totalmente distinto do que está logo ao lado. Isso quer dizer que você pode vir a morar ao lado de uma academia de ginástica, ou de um escritório de importação e exportação – e sua casa ser perfeitamente antenada com o que há de melhor no estilo “folk rock country americano”!  Pode também trabalhar num escritório de um estilista da moda e conviver com seu vizinho meio louco da direita – um escritor que vive entre livros e uma cozinha meio bagunçada, mas que tem uma linda vista para a Baía de Guanabara – e com a representação de equipamentos de última geração de sondas de petróleo que fica no lado esquerdo de seu box – tudo é possível por ali… 

Detalhe super chic do Loft da Investidora de ana lucia juca: uma pequena mesa de refeiçoes

Detalhe super ‘chic‘ do “Loft da Investidora” de Ana Lucia Jucá: uma pequena mesa de refeições.

E Casa Cor© Rio veio assim mesmo: pela dimensão dos espaços e por sua ‘estanqueidade’, cada um interpretou-os de um jeito totalmente diferente, apesar de a maioria ter pensado na casa, na moradia, no loft, no estúdio como base, e num certo ar cosmopolita, exclusivo e sofisticado. Difícil imaginar um senhor claudicante ou uma atriz brega por ali… (acho que isso é coisa que só passa pela minha louca cabeça, mas…  ), mas há que haver um contraste entre contrários, entre gente diferente, ora! E até que há. Olhando bem, até que você enxerga uma extravagância a mais aqui e um cuidado maior com um toque reservado ali. Vamos falar um pouco sobre alguns espaços que achei mais interessantes para comentar.

Começando pelo ar misterioso, científico e transcendental do "Gabinete de Novidades" de Patrícia Fendt. Clique para ver maior.

Começando pelo ar misterioso, científico e transcendental do “Gabinete de Curiosidades” de Patricia Fendt. Clique para ver maior.

 

Visto contra a luz, olha que confortável o gabinete de curiosidades de patricia fendt! Clique para ver maior.

Visto contra a luz, olha que confortável o “Gabinete de Curiosidades” de Patricia Fendt! Clique para ver maior.

Como dei de cara com o “Gabinete de Curiosidades” de Patricia Fendt começo por ele: é que, ao chegar ao 21º andar da mostra, foi ele que primeiro vi, para depois enxergar a beleza de um Rio decadente logo ali atrás. E daí me apaixonei por ambos: pela beleza da paisagem em desencanto com direito à favela (pode se apaixonar por vista de favela, gente?  ), e pelo ar de gabinete de professor ou cientista louco que se vê no ambiente de Patricia. Depois eu li em outro canto que o espaço se chamava “Lounge do Conhecimento“. Agora não sei qual é a verdade, mas gosto mais do primeiro, pois grandes homens do passado tiveram seus gabinetes mundo afora*… A composição feita pela arquiteta, os livros, as mesas, as cadeiras em madeira com palhinha, tudo escolhido a dedo com extremo bom gosto, não poderia dar em outra: paixão… minhas fotos não ficaram boas pois a luminosidade externa imperava – e deu para perceber que este foi um problema recorrente para outros fotógrafos. Mas o recado da profissional foi dado e eu adoraria ter um lugar assim…

O bom gosto em preto e rosa do "Ap. Y": repare na suíte onde a gente dorme como rainha, num pedestal, com a cidade aos pés... Clique para ver maior.

O bom gosto em preto e rosa do “Ap. Y“: repare na suíte onde a gente dorme como rainha, num pedestal, com a cidade aos pés…
Clique para ver maior.

Logo em seguida, entro no “Ap. Y“: uma bela surpresa! Monique Pampolha e Hannah Cabral – que formam o Studio MH, estreando em Casa Cor© Rio – são duas jovens profissionais que montaram um espaço gostoso, leve, atual e mais para o feminino. Uma mistura de rosa e negro na medida certa, com toques de lindo dourado. Um living suave, uma suíte digna de rainha, com uma escada que lembra uma espécie de pedestal para belos sonhos. Um banheiro ‘minimal‘ super ‘chic’ e uma cozinha que dá vontade de… deixar como está: linda e perfeita em sua “vaziez” premeditada de mostra: o que dizer mais? 

Olha que pequena joia a cozinha em madeira e dourado leve - com rosa pálido nas banquetas - do "Ap. Y"...

Olha que pequena joia a cozinha em madeira e dourado leve – com rosa pálido nas banquetas – do “Ap. Y“…

Aí, eu fui pra lá, fui pra cá, vi um espaço lindo na ponta, outro do lado de lá, outro, do lado de cá, e para que este post não perca o rumo e vocês fiquem doidos, vou continuar a contar com uma certa “ordem” que acho mais adequada, mas que não tem a ver com a que fiz na mostra, nem com a organização ou com a ordem dos ambientes que está lá, obviamente, ok? 

Beleza, funcionalidade e bem estar no chamado "Box 21". Clique para ver maior.

Beleza, funcionalidade e bem estar no chamado “Box 21“. Clique para ver maior.

"The Box": banheiro sob medida com piso em ladrilho da moda, louça da deca da moda (em cinza) e direito a jardim vertical! eu quero...

O “Box“: banheiro sob medida com piso em ladrilho da moda, louça cinza – da moda! – da Deca e direito a jardim vertical!

Vendo o chamado “Box 21” dos (também estreantes) Bernardo Gaudie-Ley e Tânia Braida – da Beta Arquitetura – me lembrei de um espaço super bem bolado de mostra em outro estado que foi muito comentado. Mas o trabalho daqui do Rio não fica nada a dever a nada nem a ninguém: Tânia e Bernardo bolaram algo acolhedor, simples e elegante que, em seu todo e em seus detalhes, agrada a maior parte das pessoas. É um loft para um executivo, mas não desagrada as meninas, que podem viver ali tranquilamente se preciso. As cores são suaves com poucos tons se destacando, as cortinas no pé direito duplo ficam sempre maravilhosas, e o “box” – isto é, o banheiro dentro da caixa com direito a jardim de Carmem Mouro – é um destaque de bom gosto, de verdade: adorei! 

Talvez eu não "sobrevivesse" ao pequenino closet do estudio do escritor, mas esta cama é poderosa, viu?

Talvez eu não “sobrevivesse” ao pequenino closet do “Estúdio do Escritor“, mas esta cama com esta vista é poderosa, viu?

Sonhos de consumo realizados pelas meninas do LEV./Studio|Bis: uma vista com banco pra sentar e degustar; estante com escadinha, bancadão para espalhar micro mais um monte de papeis e livros…

Caroline Taveira, Mariana Barbosa e Barbara Schwartz foram as vencedoras do Archathon deste ano: para quem não sabe, trata-se de uma novidade da organização de Casa Cor© que tem como objetivo revelar novas promessas do mercado de interiores e arquitetura na mostra. É uma maratona onde grupos de estudantes e recém formados orientados por um mentor, profissional formado, criam um projeto que é julgado por “feras” do mercado – este ano, dois professores da blogueira que vos escreve: Paula Neder e Ivan Rezende. Acho que as meninas foram muito bem “in verità“, ou seja, na mostra em si. Seu “Estúdio do Escritor” é bem dividido e cheio de estilo. A inspiração veio de um escritor de literatura fantástica, e o espaço abrigou quarto, living, cozinha e banheiro. Bastante versátil, o ambiente é totalmente modificável, partindo do sofá modular que pode ser adaptado de acordo com a vontade de quem ali habita. A decoração em profundos contrastes de preto e branco carrega referências escandinavas com destaque para a paginação do granito que segue da cabeceira da cama até o banheiro. Eu particularmente adorei a prancha que serve de apoio, prateleira, banco à beira do janelão e a da estante com escadinha… 

Quem consegue ficar indiferente a este visual e neste ambiente? Clique para ver maior.

Quem consegue ficar indiferente a este visual e neste ambiente? Clique para ver maior.

Daí a gente dá uma virada e vai para o outro lado do prédio: eu diria que é para a “proa”, se estivéssemos num barco. Não é, mas é quase viu? David Bastos foi gentil e inteligentíssimamente convidado a assinar um espaço em Casa Cor© Rio neste ano e foi o que ele fez com os dois pés nas costas!   Em seu “Observatório” de 140 m2, com direito a telescópios, para ver mais de perto os detalhes do entorno, entrou uma ambientação bela e bastante colorida num espaço aberto com vista para os pontos altos da cidade: o Museu do Amanhã, a nova Praça XV e o Pão de Açúcar ao fundo. Pode melhor? Só estar ao lado do “Skyline Bar” do Caco Borges e do Mauricio Prochnik Mas isso é só mais um detalhe…

Pompa, circunstância e muito charme no loft de Ana Lucia Jucá. Clique para ver maior.

Pompa, circunstância e muito charme no loft de Ana Lucia Jucá. Clique para ver maior.

Para fechar – por enquanto…  – o belíssimo “Loft da Investidora” de Ana Lúcia Jucá: tudo ali é exclusivo, delicado, feminino… e quebra. espanto Fiquei com essa impressão – e é uma impressão verdadeira, não brinquem por ali…  – e com a sensação de que o futuro é cristal: cristal líquido dos displays dos diversos equipamentos, cristais dos espelhos (vários), cristal no lustre, cristal no armário onde se guarda as roupas, tudo bem sensível, e me senti meio “bruta” em meio a tanta delicadeza. Não que eu não goste, mas realmente Ana Lucia caprichou na dose de “fragilidade” e eu me senti meio “inadequada” àquilo tudo (talvez seja vero  ). Muitas cores claras, muita luz, leveza e transparência: você se sente um pouco “flutuando” – o que é muito bom – um pouco com os pés na terra, pois sabe que basta dar dois passos e sonho acaba: plufff… 

Uma menção especial

Belíssima entrada do 'Spa Deca' de Paola Ribeiro.

Belíssima entrada do ‘Spa Deca‘ de Paola Ribeiro.

Ao “Spa Deca” de Paola Ribeiro, que por menos que eu tenha gostado, está lindo… Como explicar tamanha contradição?  O ‘causo’ é que vi a princípio uma sala, uma espécie de estar com um sofazão e os lançamentos (os metais), dentro de uns cubos de acrílico meio que “atolados” em algo que parecia ser uns pedriscos dourados (já fiz algo parecido, a ideia é boa, viabilizar é meio complicado…). Isso me pareceu muito pouco e muito limitado. Depois se entra no verdadeiro ‘spa‘, onde diversos ambientes com uma bela base em madeira complementada por muitos tecidos em branco e uma sucessão de belas vistas te deixam meio boba, pois simula um lugar que flutua, um lugar tranquilo, relaxante, talvez entre as nuvens…

Apenas um dos lindos espaços do ‘Spa Deca‘ da Casa Cor© Rio 2017.

Daí se vê todo o trabalho de Paola (e de sua equipe…), ao criar vários espaços de relaxamento, de bem estar, onde tratamentos diversos de um verdadeiro “spa nas nuvens” podem ser encontrados: um verdadeiro céu com chaises, poltronas, divãs e espreguiçadeiras gostosíssimas, com o maior charme e bossa: realmente, um trabalho que merece uma menção especial. 

Continua…

* Só pra explicar: “gabinete de curiosidades” e “quarto das maravilhas” eram ambientes onde, nos séculos XVI e XVII, se expunha uma multiplicidade de objetos raros ou estranhos – além de obras de arte e novas invenções – que eram colecionados por personalidades como reis e príncipes, ou por pesquisadores, cientistas, etc. Foram os antecessores diretos dos museus. Na imagem abaixo, gravura da Biblioteca Estense, de Modena, circa 1672, do escritório de Ferrante Imperato em Nápoles, Itália.

Fonte: www.terre-meuble.fr

Fonte: www.terre-meuble.fr

Related Posts with Thumbnails
Share

Deixe um Comentário