nav-left cat-right
cat-right

Casa Cor© Rio 2017: os ambientes – segunda parte

O antigo, o novo e o natural encontram-se no espaço tem.po das novatas Luiza Bottino e Valeska Ulm com muito capricho.

O antigo, o novo e o natural encontram-se no “Espaço Tem.pó” das novatas Luiza Bottino e Valeska Ulm com muito capricho.

Continuando com a análise do que vi na Casa Cor© Rio deste ano e que mais curti, agora falo sobre um ambiente bem diferente e bastante interessante, bem trabalhado por Luiza Bottino e Valeska Ulm, também estreantes na mostra: batizado de “Espaço Tem.pó“, para as profissionais é um lugar “de pausa e reflexão“, que foi evidenciado através do diálogo entre passado e presente, através da escolha de peças carregadas de história, como poltronas de Zanine pai e Zanine filho, Sérgio Rodrigues e Hugo França, por exemplo. Inspiradas também na lenta passagem do tempo que se move no Porto do Rio – visual de seus janelões – desenharam quatro chaises que se movem sobre um trilho apoiado em um bloco de concreto. O pé direito todo trabalhado com madeira impressiona, bem como as paredes com tijolinho e prateleiras com iluminação embutida na parte de trás, além das três jabuticabeiras em vasos, a árvore frutífera que só tem no Brasil. É um local curioso onde tudo chama a atenção. Vale a pena se demorar nos detalhes que se vê por ali. 

Agora vou mostrar um filmete sobre o próximo espaço pra vocês…

Todo o lindo trabalho em madeira da Ilha nas Alturas, de mario santos

Incrível, não? Mário Santos herdou de Janete Costa – sua mãe e musa de gerações de arquitetos e designers de interiores, como a minha – a vontade de querer surpreender sempre. E consegue! Claro que se não houvesse a projeção no piso, só o trabalho que ele (e equipe…) tiveram ao propor a verdadeira trama de madeira que envolve sua “Ilha nas Alturas” já justificava uma olhada com mais atenção ao lugar. Ele não se contenta com menos, não se satisfaz com pouco e busca a excelência em todos os detalhes.

Todo o lindo trabalho em madeira da Ilha nas Alturas, de Mario Santos. Clique para ver maior.

Todo o lindo trabalho em madeira na “Ilha nas Alturas“, de Mario Santos. Clique para ver maior.

Eu realmente fiquei um tempo observando até os tapetes que pareciam (pareciam, leiam bem…  ) “jogados” no piso, pois sei que tudo ali tinha um porquê direcionado, especial. São 140 m² criados com o patrocínio de “Booking.com“, “supostamente” em busca de “uma vida mais equilibrada e tranquila”…  com suíte, sala de estar e jantar integradas. Tem cada coisa para se ver que também vale a pena se demorar por lá. São muitos os detalhes insólitos e um verdadeiro garimpo de coisas interessantes… 

Em primeiro plano, a sala e um confortável e descontraído sofá

Em primeiro plano, a sala e um confortável e descontraído sofá…

A simpática e surpreendentemente ampla cozinha do loft de Cris Japiassu. Clique para ver maior.

… depois a simpática e surpreendentemente ampla cozinha do “Loft do empresário carioca” de Cris Japiassú. Clique para ver maior.

Elegante, justo e “no ponto” como eu gosto, o “Loft do Empresário Carioca” de Cristina Japiassú também estava muito bem. Sala, quarto e cozinhas perfeitinhos, com destaque para a espaçosa cozinha – que eu nunca iria pensar que caberia por ali – e para a prancha de surf no quarto do empresário que, claro, foi, ou ainda é, surfista nas horas em que é possível. O banheiro simples e muito chic, e um hall de entrada para completar esse espacinho que – não é nada, não é nada – tem mais qualidade que muito apartamento por aí, viu? 

Todo o charme do "Loft da Executiva" de Claudia Pimenta e Patricia Franco. Clique para ver maior.

Todo o charme do “Loft da Executiva” de Claudia Pimenta e Patricia Franco. Clique para ver maior.

Lá no canto do prédio, na virada para o outro corredor, se encontra o belíssimo “Loft da Executiva” de Claudia Pimenta e Patricia Franco: “belíssimo” é um elogio que vocês encontram facilmente no meu vocabulário diário pois eu gosto de enaltecer o que vejo de bonito, o que vejo de belo por aí. Mas, com sinceridade, o trabalho dessas profissionais se destacou e vem arrancando não apenas elogios mas a admiração de muita gente que visita a Casa Cor© Rio deste ano, com justiça! É um espaço amplo e muito bem trabalhado pela dupla que não titubeou e colocou lá pertinho da janela o lindo balanço “Ipê“, do querido Sergio Mattos: ele se destaca “no ambiente” e lá fora – que não são visuais fáceis de se concorrer! – pelo seu design e cara de “ninho” de (extremo) conforto. Um toque a mais de bom gosto e bem viver num espaço onde se esbanja ambos!

Olha o balanço "Ipê" do Sergio Mattos no Loft da Executiva rivalizando com a vista da Baía da Guanabara: não disse que a concorrência era difícil?

Olha o balanço “Ipê” do Sergio Mattos no rivalizando com a vista da Baía da Guanabara: não disse que a concorrência era difícil?

O mobiliário contempla sofá curvo revestido em linho, chaise longue, uma cama ultra fofa, cores super agradáveis – com ênfase no chamado “pink millennial“, aquele tom de rosa nude que para todo canto que se olha lá está ele…  – e iluminação também muito agradável. Aliás, as luminárias e o armário em vidro são itens que me parecem dos mais fotografados da mostra…

Obras de arte e tudo no lugar no "Loft do Comandante" de Jorge Delmas.

Obras de arte e tudo arrumado” no “Loft do Comandante“…

... e o lindo (e sóbrio...) banheiro do espaço.

… completado pelo o lindo (e sóbrio…) banheiro do espaço. Por Jorge Delmas.

Um ambiente masculino e dos mais elegantes, o “Loft do Comandante” de Jorge Delmas é um estúdio onde tudo é suave e sem excessos ou “distrações”… Atual e belo à sua maneira, acho que Delmas acertou bem e fez algo muito bom sem se perder em modismos, o que é bem difícil em mostras de decoração na atualidade – mais fácil para profissionais de tradição na área, como Delmas. A paisagem da Baía de Guanabara que entra janelas adentro foi bem explorada no quarto, na sala e na cozinha – que são integradas ou isoladas por divisórias deslizantes, bem como o banheiro, que é elegantérrimo em sua ‘vibe‘ branca e cinza chumbo e detalhezinhos funcionais muito bacanas. Na cozinha, destaque para os móveis com pintura artesanal oxidado níquel, que têm um efeito de metal envelhecido pelo tempo, e para a ilha de mármore “Nero Marquina” preto e branco ultra chic! Quadros de Tomie Ohtake e Rubens Gerchman e uma escultura de Amilcar de Castro compõem o décor. É, enfim, um espaço TOP para o comandante de um “transatlântico” que poderia ser o Aqwa Corporate

 

A elegante e sempre bem dosada decoração do Studio Ro+Ca: aqui, a sala do "Loft (U)"...

A elegante e sempre bem dosada decoração do Studio Ro+Ca: aqui, a sala do “Loft (U)“…

... acompanhada pela bela e confortável suíte.

… acompanhada por uma bela e confortável suíte.

Para terminar, um destaque que vem se repetindo nas últimas mostras Casa© Cor Rio: o espaço do Studio Ro+Ca, leia-se Rodrigo Béze e Carlos Carvalho (e agora também Caio Carvalho), que neste ano fizeram o “Loft (U)“, ou seja, um estúdio sem gênero ou sexo, para um casal U (Undefined). É apenas a quarta participação do estúdio de arquitetura na mostra que sempre se dá muito bem no evento, sempre trazendo alguma novidade ou surpresa, ou simplesmente exercitando um trabalho leve e sem grandes pretensões, atingindo o público de forma positiva, de um modo geral. Neste ano, a “pegada” foi industrial, e deixou a estrutura do edifício exposta, com mistura no revestimento de piso, ora cimentado, ora de madeira. O uso de divisórias em ferro e vidro canelado ficou bacana e a vista da Baía de Guanabara foi um show para sala e suíte, super bem decoradas com “simples” cortinas piso-teto (em pé direito duplo, lembrem-se, fica di-vi-no…). Eu simplesmente vi a suíte e o banheiro por fotos, tamanha a quantidade de pessoas no espaço – foi impossível entrar nestes dois ambientes na hora em que estive lá, creiam-me… 

Uma menção especial

Um show de bom gosto no "Pool Lounge de Fabio Bouillet e Rodrigo Jorge: candy colors e cores nem tão candy assim com diversidade de piscinas dão bem estar ao morador/usuário. Clique para ver maior.

Um show de bom gosto no “Pool Lounge” de Fabio Bouillet e Rodrigo Jorge: ‘candy colors‘ e cores nem tão ‘candy‘ assim, com diversidade de piscinas e opções de lazer dão bem estar ao morador/usuário. Clique para ver maior.

Ao “Pool Lounge” bolado por Fabio Bouillet e Rodrigo Jorge, bem complementado pelo “Pool Garden“, composto por Karyne Lima e Guiherme Portugal: ufa! foi difícil de entender, até por que confesso: eu nem consegui chegar até o local pela confusão do primeiro dia de mostra…  Daí que falo “de orelhada”, mas dá para ver que é um dos melhores espaços da mostra e que merece ser destacado. As piscinas em vários níveis, com hidromassagem, borda infinita, e vários espelhos d´água combinadas ao mobiliário – colorido e super bem escolhido – encantam, bem como o paisagismo de vegetação tropical que complementa super bem a parte externa do espaço – este, confesso que não vi mesmo, nem em foto: que falha!…  São vários pequenos recantos a serem aproveitados por um grupo aqui, outro ali, de forma elegante e em ‘petit comitee‘ o que tem lá seu charme, mais do que uma coisa ‘agigantada’ que é o que mais se vê em projetos do tipo.

Outro belo visual do "Pool Lounge".

Outro belo visual do “Pool Lounge“.

Ou seja: ao invés de ser uma “típica área de lazer de um prédio de apartamentos”, é mais um espaço relaxante, onde as pessoas podem se relacionar, conversar com tranquilidade, tomar um drink, “trocar” efetivamente, mais do que simplesmente, correr da piscina para o bar ou do bar para a ginástica, parando de vez em quando para conversar com alguém. É um momento de entendimento, de encontro, para se conhecer – pode nem funcionar assim, mas que a proposta foi esta, foi!  Destaque para a sacada dos criadores de fazer um contraste entre a luz natural e a escuridão, escolhendo para o interior das piscinas o preto – todas da IGUI, com fibra de vidro e revestimento de pastilhas. Ficou lindo… 

Related Posts with Thumbnails
Share

Deixe um Comentário